2020 o Ano da Limonada

Este foi um ano de desafios, oportunidades e vitórias.


Quando em Janeiro começamos o primeiro Programa Cascais Surf para a Empregabilidade do ano e a 4ª edição do mesmo estávamos animados pela perspetiva de impactar positivamente mais um grupo de pessoas, que nos chegavam de locais diferentes, com formações diferentes, sotaques diferentes e objetivos diferenciados. Tivemos neste programa o nosso primeiro Doutorado, o nosso segundo Uruguaio, a primeira alemã/grega e a primeira participante do Norte de Portugal. Era um grupo eclético, vibrante e cheio de vontade de trazer ensinamentos e levar aprendizagens, tal como nós.



Na sessão de abertura recebemos o Daniel Traça – Dean da NOVA SBE – que pela primeira vez era a nossa casa a tempo inteiro, e nosso desejo desde do princípio do projeto. Nesse primeiro dia tive a certeza que seguíamos no caminho certo e que o Projeto da Associação Surf Social Wave fazia e faz todo o sentido para quem nele participa e colabora.


Depois o tsunami avassalador entrou – a COVID 19 – fechou-nos a todos em casa e, em 24 horas, tal como outros, ficamos sem fontes de receita que nos permitiam ser, como sempre quisemos, um projeto sustentável do ponto de vista financeiro.

As aulas de surf que dávamos aqueles que podiam pagar cessaram e o Campeonato Nacional de Bodysurf que tinha inicio marcado para abril, foi adiado para uma data indefinida. Só em Outubro conseguimos realizar a etapa única do Campeonato Nacional de Bodysurf, mas com a noção que mantivemos viva uma comunidade desportiva que tinha surgido em 2014.


Na primeira semana ficamos atordoados com esta situação.


Mas somos surfistas, estamos habituados a dias em que as ondas são difíceis, grandes ou pequenas, tempestuosas ou demasiado calmas e por isso avaliámos a situação de acordo com os dados que tínhamos e com aquilo que se previa ser um ano difícil, e decidimos que íamos manter o nosso rumo adaptando as nossas diferentes missões à situação em que nos encontrávamos. Nessa semana ainda começamos as sessões online com os nossos alunos de surf. Tivemos pela vez a oportunidade de falar sobre todas as questões que habitualmente os alunos colocam mas que nunca temos espaço para falar entre ondas. Preparamos vários workshops sobre diversos temas e paralelamente trabalhámos fisicamente com exercícios específicos do surf uma vez por semana.


Tomamos também a decisão de avançar para o nosso segundo Programa Cascais Surf para a Empregabilidade do ano – desta vez - totalmente online. Desafiámos, nesse sentido, os nossos parceiros para nos ajudarem a levar a cabo um programa que apesar ter como âncora o Surf não era possível ir à praia. Confesso que apesar de ser uma decisão consciente e pensada esta era também uma decisão arriscada. Uma das mais valias do nosso programa prende-se com a abordagem holística dos nossos participantes e não sabíamos como resultaria num universo estritamente virtual. Os nossos parceiros foram fundamentais para fazermos deste programa um sucesso e um case para futuras edições. Nesta edição tivemos um participante na Alemanha todo o tempo do programa, para além de pessoas de norte a sul de Portugal. Foi incrível! No ultimo dia conseguimos ainda fazer surf – foi um momento simbólico muito importante para nós – tínhamos superado a primeira vaga deste tsunami chamado COVID 19.



Com o Verão à porta decidimos levar a cabo mais um programa, desta vez em regime semi-presencial, apenas as aulas de surf aconteciam em regime presencial e todas as restantes seriam sessões online. Esta edição tal como a anterior destaca-se sem duvida nenhuma pela diversidade dos participantes, mas também pela presença de um participante da Póvoa de Varzim, que apesar de não ter frequentado as aulas de surf veio um dia fazer uma aula e voltou para a Póvoa. Nesse dia acordou às 03:00 da manhã para estar às 09:00 no inicio da aula. Foi um momento fantástico. E um belo dia de ondas.


Com o fim deste programa vieram boas notícias. Em 2019 tínhamo-nos candidatado com a Câmara Municipal de Cascais às Parceiras para o Impacto, uma ferramenta de apoio a projetos do Portugal Inovação Social e recebemos a notícia que a nossa candidatura tinha sido aprovada.



Preciso fazer uma pausa aqui neste balanço de 2020 para vos falar da nossa equipa. Somos 3 pessoas. Eu, a Ana e a Sara. Quando chegamos a julho tínhamos sobrevivido das nossas economias desde março. Passamos dificuldades. A Sara ficou em tele trabalho e a Ana passou a vir de carro para o escritório. Fizemos sacrifícios em nome do nosso projeto. E quando recebemos esta noticia ficamos extasiados. Aquilo que nos fazia sentido, que era realizar a nossa missão estava agora assegurado até ao final de 2022 e significava que - enquanto presidente da associação –podia cumprir as minhas obrigações com a minha equipa.



Com esta boa notícia começamos a trabalhar com afinco para a ultima edição de 2020 felizes porque tínhamos escolhido o caminho certo, a equipa certa e os parceiros certos. E sobretudo porque íamos cumprir o nosso objetivo e fazer quatro programas este ano. Isto significa 40 pessoas que são mães, pais, mulheres e maridos, irmãos, sobrinhos, filhos, namoradas e namorados de alguém. Significam 40 famílias, 40 vidas que impactamos. E isso não tem preço.


Os resultados de 2020 são por isso positivos, dos nossos participantes– 80% está a trabalhar ou a montar o seu próprio projeto.


Se tivéssemos de dar um título a este ano ele seria: 2020 o ano da limonada porque com tantos limões que o ano nos trouxe passámos o tempo a fazer limonada.


Tudo isto para dizer - OBRIGADO


SEM PARCEIROS, COACHES, PROFESSORES, ORADORES, FORMADORES, PROFESSORES DE SURF, PROFESSORES DE YOGA, AMIGOS E FAMILIA NADA DISTO SERIA POSSIVEL.




A MINHA EQUIPA É A MELHOR DO MUNDO – ANA E SARA – OBRIGADO 😊



Posts Em Destaque
Posts Recentes